Mais informações

Primeiras inscrições de barcos de outros estados no Circuito Oceânico

 

O XXVI Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina, que esse ano terá o retorno da Mitsubishi como patrocinadora do evento, começa a confirmar os primeiros veleiros de outros estados na principal semana náutica de Santa Catarina. A Escola Naval, do Rio de Janeiro, será representada pelos veleiros Dourado, Marlim e Bujipirá, todos inscritos na classe ORC, na competição que acontece entre os dias 4 e 7 de fevereiro, na raia de Jurerê.

As tripulações das equipes da Escola Naval são compostas sempre por aspirantes. “Todos que desejam fazer parte do Grêmio de Vela da Escola Naval são submetidos a uma seletiva em seu 1º ano escolar, onde são testadas suas habilidades e a vontade de aprender a velejar e, se aprovado pela tripulação das demais turmas, os novos Aspirantes já começam a tripular os veleiros em regatas”, explica Lucas Tordino, Comodoro do Grêmio de Vela da Escola Naval.

As competições nacionais têm grande importância para a evolução dos jovens aspirantes e são uma constante na história da Escola Naval. “O registro mais antigo que achei de participação da Escola Naval foi em 1984, no III Circuito Oceânico de Santa Catarina”, comenta Lucas Tordino.

Mesmo com uma equipe com menos experiência do que as demais tripulações, as equipes da Escola Naval virão a Santa Catarina com boas perspectivas: “Nossas tripulações têm alta rotatividade, onde todo ano saem tripulantes de uma turma mais experiente e entram tripulantes mais novos. Nossas expectativas de alcançar um bom resultado são sempre muito altas. Sempre vamos para a água buscando fazer nosso melhor”, encerrou o Comodoro do Grêmio de Vela da Escola Naval.

Quem também confirmou presença no XXVI Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina foi o catarinense Absoluto, do comandante Pedro Prosdócimo. Assim como os velejadores da Escola Naval, a equipe está bastante motivada para a competição no início de fevereiro.

“Como sempre, o Circuito Oceânico é um dos melhores campeonatos de Vela de Oceano da América do Sul. Acho que participei pela primeira vez na década de 80 e depois disso, sempre que possível, estamos firmes. Acredito que nós teremos muitos barcos de fora, que devem engrandecer e elevar o nível da competição, por isso acho que este ano teremos bastante dificuldades, mas vamos lutar para estar no pódio, como tem sido nos últimos anos”, revela o comandante Pedro Prosdócimo.