Mais informações

Zeus Team, Ângela Star VI, Flash Best Fellow e Tereza são os grandes campeões do Circuito Oceânico

Jurerê amanheceu com um belo dia de sol para presentear os velejadores no último dia de disputas da 26ª edição do Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina. Com boas condições de vento leste, variando entre 7 e 10 nós (aproximadamente 15km/h), a regata decisiva coroou os campeões nas quatro categorias do evento: ORC, BRA-RGS, HPE25 e C30.

Os veleiros C30 protagonizaram o grande “pega” no último dia de regatas. O Zeus Team (SC), do comandante Inácio Vandressen, chegou ao sábado com pequena vantagem sobre Caballo Loco (SP) e Katana (SC), mas precisava da vitória para assegurar o título. A estratégia adotada pelo líder funcionou e com mais uma vitória a equipe venceu o duelo. O Katana, que vinha de uma fita azul na Volta à Ilha e do título na edição 2014 do Circuito Oceânico, acabou na segunda posição geral, seguido pelo Caballo Loco e Corta Vento (SC).

“Essa vitória é de toda a equipe. Nós velejamos muito bem durante toda semana. Tivemos alguns problemas em uma ou outra regata, mas no final deu tudo certo. Optamos por velejar na direita, apostando no Jurerê Tradicional, que de leste dá um pouco mais de direita, e deu”, comemorou Felipe Linhares, o Fipa, timoneiro do Zeus Team.

Entres os veleiros de ORC, destaque neste sábado para a grande atuação do Itajaí Sailing Team. Aproveitando as condições favoráveis, a equipe do litoral norte catarinense venceu a regata Barla-Sota. Porém, mesmo como descarte, o Ângela Star VI acabou confirmando o bicampeonato da competição. A equipe do comandante Peter Siemsem chegou com boa vantagem ao último dia e não foi ultrapassada pelos concorrentes.

O Itajaí Sailing Team ficou em segundo, seguido por Absoluto (3º - SC), Melody 5 (4º - SC), Bijupirá (5º - RJ), Marlim (6º - RJ) e Dourado (7º - RJ).

Quem também confirmou a liderança e, consequentemente, o título foi o Flash Best Fellow. O veleiro do comandante Leonardo Deboni estreou na BRA-RGS com título após vitória na regata decisiva. A briga entre catarinenses pelo título foi com o Argonauta, vice-campeão do Circuito em 2015.

Após um começo com um quinto lugar, o Flash Best Fellow recuperou-se na competição, vencendo quatro das cinco regatas Barla-Sota. O Massu I terminou em 3º, com Garrotilho em 4º, Açores II em 5º e Ursa Maior em 6º.

Já na HPE25, o título ficou com os gaúchos do Tereza. O veleiro chegou ao último dia disputando ponto a ponto com o Força 12, de Arno Juk, e com a vitória na última regata confirmou o título no Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina.

Com presença de centenas de velejadores de todo país, o Circuito Oceânico confirmou mais uma vez sua posição como uma das principais competições brasileiras da categoria. “Nós estamos muito contentes com esse grandioso evento. A Mitsubishi fortaleceu bastante, mais uma vez, dando ainda mais força a competição. Ano que vem nossa intenção é que tenhamos o dobro de embarcações em nosso Circuito”, comemorou o Comodoro do Iate Clube de Santa Catarina, Alexandre Back.

Inclusive, o Iate Clube de Santa Catarina conta com importantes competições nessa temporada, o que atrai ainda mais a atenção do mundo da vela para o estado. “Teremos dois grandes eventos internacionais nos próximos meses. Um deles é a Regata Puerto del Buceo – Florianópolis, que larga em Montevidéu e termina aqui em nosso clube, no mês de março. Neste mesmo mês, teremos o Sul-Brasileiro de Optimist, que será seletiva para o mundial, e em Abril, receberemos a nata da vela com as disputas do Mundial S40. Sem falar no Sul-Brasileiro de Snipe. Enfim, será um ano repleto de importantes competições, o que nos deixa muito felizes”, complementou o Comodoro Alexandre Back.

O Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina é uma realização do Iate Clube de Santa Catarina e conta com o patrocínio da Mitsubishi. O evento tem ainda o apoio da Schaefer Yachts, Rede Mar de Canasvieiras - Hotéis, Cash, Red e Sete.